CIRROSE HEPÁTICA E CONSEQUÊNCIAS

O fígado é um órgão único e indispensável à vida. Quase tudo o que se come, após a absorção intestinal, é “processado” por ele e então encaminhado aos diferentes setores do organismo. Quando as funções do fígado não mais atendem às necessidades, ocorre a diminuição da produção de proteínas, especialmente de albumina e dos fatores de coagulação, bem como diminuição do metabolismo de hormônios (estrógeno, aldosterona, entre outros). O fígado também é responsável pela síntese do colesterol.

O que é cirrose hepática?
A cirrose hepática se instala quando há fibrose no fígado. Fibrose é o nome que se dá a uma resposta cicatricial de agressões repetidas. Na cirrose hepática, parte do fígado já perdeu sua função em decorrência da morte de células hepática como resultado de agressão sofrida pelo órgão - veja a ilustração. Como consequência da cirrose hepática, o fígado diminui de tamanho e ocorre insuficiência hepática e hipertensão portal.

Quais os sintomas e as consequências da cirrose hepática?
Abaixo iremos relatar as principais funções do fígado que são prejudicadas pela cirrose hepática:

• Diminuição da albumina: albumina é uma proteína que tem a função de regular o líquido dentro da circulação mantendo o organismo hidratado e evitando o inchaço. É ela também que transposta os hormônios e substâncias na corrente sanguínea.  Se a albumina está com baixa concentração, possibilita que o líquido escape do vaso sanguíneo e se acumule embaixo da pele, principalmente, no abdome (“barriga d’água” - ascite) e em locais de nível mais inferior (pernas ou face corpórea posterior do corpo, naqueles que ficam mais tempo deitados).  Esta também é uma das causas que provoca o inchaço em pessoas que bebem em excesso.

• Na coagulação do sangue, a diminuição das proteínas do fígado, causa tendência para sangramentos abundantes não só em casos de ferimentos, como de forma “espontânea” (sangramento sem motivo aparente no nariz, gengivas, menstruações excessivas).

Na pele surge hematomas, “spiders” (aranhas vasculares – veias em formato de aranha) ou teleangectasias, palmas das mãos ficam avermelhadas, com “aspecto de presunto”.

•  O paciente com cirrose é magro, tem pouca musculatura, tem membros finos, barriga grande e pernas inchadas. Homens tendem à “feminilização” (aquisição de caracteres femininos), por excesso de estrógeno, que deixa de ser metabolizado pelo fígado comprometido. Há impotência, aumento das mamas, redução de pelos e do volume dos testículos.

Instalada a cirrose hepática, há risco para o desenvolvimento de câncer do fígado (hepatocarcinoma), especialmente nos infectados pelos vírus B e/ou C da hepatite. Se detectado precocemente, o paciente pode ser curado com cirurgia para remoção do tumor. No diagnóstico tardio, a cura só é possível com transplante de fígado.

Palavras em azul são links que te direcionam ao assunto em questão. Clique para ler. Matéria relacionada:
Causas da Cirrose

Este conteúdo é exclusivo do livro Medicina Mitos e Verdades (CarlaLeonel) – Editora CIP. Proibida a reprodução total ou parcial sem citar a fonte. Médico responsável pelo capítulo de gastroenterologia Prof. Dr. Luiz Chether. As informações contidas nesse site são de caráter informativo. A informação auxilia na prevenção. Consulte sempre seu médico.

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.