Causas do abscesso pulmonar

Causas do abscesso pulmonar

O que é abscesso pulmonar?
O abscesso pulmonar ocorre quando uma cavidade do pulmão é preenchida com secreção purulenta (pus), decorrente de uma infecção e provoca a destruição do tecido do pulmonar. É absolutamente igual ao abscesso de qualquer outra região do organismo. Os germes desencadeiam um quadro inflamatório severo com redução da vascularização, ou seja, da irrigação local, o que determina a morte do tecido.

Tipos de abscessos no pulmão

• Abscesso único são os mais comuns, normalmente causados por aspiração de secreção de bactérias da orofaringe, microrganismos anaeróbios que constituem a flora bacteriana da gengiva;

• Abscessos múltiplos: geralmente decorrentes da embolia séptica.

Causas

O principal fator causador do abscesso é a pneumonia. No entanto, ele pode ser secundário a obstrução de um brônquio por tumor ou por corpo estranho. Pode também ser consequência de aspiração de material contaminado. Em crianças, a obstrução é, geralmente, secundária a presença de um corpo estranho. Em adultos fumantes decorre, na maioria das vezes, de um tumor, em geral, maligno (câncer). O abscesso é também frequente em alcoólatras e em portadores de crises convulsivas, sendo a pneumonia, na maioria das vezes,causada por aspiração de conteúdo gástrico (vômito).

Outras causas do abscesso pulmonar: dentes mal cuidados, problemas em gengiva, alcoolismo, refluxo gastroesofágico e aspiração de conteúdo gástrico durante cirurgias.

Leia artigo completo sobre problemas na gengiva e abscesso pulmonar

Sintomas do abscesso pulmonar

Os principais sintomas do abscesso pulmonar são febre alta, tosse produtiva com expectoração mucopurulenta abundante, mal-estar geral e emagrecimento. Muitas vezes, o abscesso se rompe na árvore brônquica dando saída a grande volume de material purulento, em geral com odor fétido, chamado vômica (eliminação abrupta, pela tosse, de grande volume de catarro e da coleção de supuração pulmonar).

Classificação dos abscessos no pulmão

• Únicos os múltiplos;
• Unilateral ou bilateral: em apenas um ou nos dois pulmões;
• Agudo ou crônico: com mais de 30 dias de evolução é considerado crônico;
• Primário por aspiração;
• Secundário por obstrução brônquica;
• Não verdadeiros – congênitos ou adquiridos.

Tratamento

O tratamento é feito com antibióticos, manutenção de hidratação e alimentação adequadas, além da administração de cuidados gerais com ênfase na fisioterapia respiratória, que consiste na realização de manobras de forma ativa ou passiva, objetivando facilitar a eliminação das secreções e impedindo o seu acúmulo.

Quando o tratamento clínico é ineficaz, recomenda-se o tratamento cirúrgico. É importante alertar a importância do tratamento adequado. Caso contrário, a cavidade pode não se fechar e permanecer aberta para sempre, sendo este um local propício para o crescimento de fungos (aspergilus), o que pode propiciar a formação de uma bola de fungos (micetoma), determinando quadros de infecções e podendo evoluir, a partir disso, para um choque toxêmico e morte.

Leia mais artigos na categoria de Pneumologia

Conteúdo do livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel). Perguntas e Respostas em 22 especialidades médicas. Capítulo de pneumologia. Médico responsável Prof. Dr. Francisco Vargas, Titular da Disciplina de Pneumologia da USP.