Bradicardia é grave? Quando o coração bate menos que 60 por minuto

Bradicardia é grave? Quando o coração bate menos que 60 por minuto

O que é bradicardia?Bradicardia é uma alteração no ritmo do coração que o faz bater mais lentamente. O normal é que o coração tenha uma frequência entre 60 a 100 batimentos por minuto. Os batimentos abaixo de 60 bpm caracteriza a bradicardia.

O que sentimos quando o coração bate mais devagar do que o normal?Quando o coração bate mais devagar, a circulação sanguínea, da mesma forma, diminui. Esse déficit de fluxo sanguíneo é sentido principalmente na cabeça, que é a parte mais alta do corpo. Por isso é comum a tontura como um dos sintomas. Também há uma queda do esforço muscular do coração, o que diminui a pressão arterial. Como consequência, além da tontura, você se sentirá mais cansado ou pode até mesmo sofrer desmaios.

Em que situações o coração bate devagar sem representar problema?

Em algumas situações é normal o coração bater mais lento. Sempre que dormimos, o ritmo do coração diminui, é fisiológico, natural do corpo. Os atletas, no dia a dia, quando não estão em atividades físicas, também costumam ter um batimento cardíaco abaixo de 60 bpm e também não significa bradicardia. Isso porque, o músculo cardíaco de quem é mais bem condicionado é mais forte e, portanto, consegue bombear sem muito esforço a mesma quantidade de sangue do que o coração de uma pessoa normal.

Durante as atividades físicas, um coração mal condicionado, por exemplo, eleva rapidamente seus batimentos para poder aumentar a quantidade de sangue que transporta para o organismo, enquanto que no caso do indivíduo bem-condicionado, existe um aumento lento e gradual da frequência cardíaca, poupando o músculo cardíaco. Por isso, pessoas bem condicionadas possuem, normalmente, frequências cardíacas mais baixas, sendo o contrário para indivíduos sedentários e destreinados, onde a bradicardia representa alteração na condução do estímulo elétrico.

Bradicardia é grave? É sempre sintoma de doença cardíaca?

O ritmo do coração deve ser ordenado. A bradicardia faz parte das arritmias que é o descompasso dos batimentos cardíacos. Clique no link azul e leia o artigo completo sobre arritmias cardíacas.

Sentir o coração bater mais devagar, causa muito incômodo, mas nem sempre significa problema sério Clique no link e leia também: O que é palpitação. Ás vezes, o simples fato de você ficar muito tempo em repouso pode determinar a diminuição dos batimentos cardíacos.

A bradicardia pode se manifestar também por problemasnão necessariamente cardíaco, como por exemplo, efeito colateral de medicamentos, uso de drogas, desequilíbrio eletrolítico, na tireoide, desordens endócrinas ou metabólicas, doenças neurológicas, autoimunes etc.

Das causas cardíacas, estão relacionadas às questões vasculares, isquemias e desordens no nódulo sinoatrial ou atrioventricular, que são responsáveis pelo estímulo elétrico do músculo cardíaco.

O nódulo sinoatrial é o marca-passo natural do coração, de onde parte os impulsos a cada ciclo e se distribuem pelo coração. Já o nódulo atrioventricular é responsável pela pausa entre um batimento e outro, pausa esta, necessária para que os átrios consigam ejetar sangue para as câmaras ventriculares.

O correto é que o ritmo do coração e o sincronismo das contrações das câmaras estejam em harmonia e se distribuam de forma organizada pelo músculo cardíaco.

Bradicardia provoca morte súbita?

As bradicardias, normalmente, não causam morte súbita, a não ser que esteja associada a alguma doença. Quando há uma falha no batimento cardíaco chamamos de extrassístole. As extrassistoles esporádicas não representam qualquer problema em termos de qualidade ou quantidade de vida.O organismo tende a se adaptar a este descompasso, embora em algumas pessoas, possa impactar a qualidade de vida. Se o paciente se queixa de muito mal estar, cansaço extremo ou sinta as palpitações com mais frequência, ele pode ser tratado com medicação.

Nos casos mais graves é necessária cirurgia ou implante de dispositivos cardíacos, como o marca-passo com desfibrilador. O marca-passo é indicado, principalmente, quando a doença provoca uma diminuição significativa dos batimentos cardíacos, como por exemplo, no bloqueio atrioventricular total. Nesta situação, a passagem do estímulo elétrico dos átrios para os ventrículos fica impossibilitada, levando a uma queda significativa dos batimentos cardíacos. Esse dispositivo é implantado no paciente e quando a arritmia se manifesta é liberado um pequeno choquinho para corrigi-la. A cirurgia é relativamente simples e é feita sob sedação e anestesia local.

No caso da fibrilação ventricular, ocorre uma desorganização da transmissão dos estímulos elétricos nos ventrículos (responsável pela contração que distribui o sangue para fora do coração), e a falha na contração dos ventrículos gera aineficiência do coração para bombear o sangue, causa da parada cardíaca e morte súbita. Veja na imagem, o eletrocardiograma com fibrilação ventricular e parada cardíaca.

Pode-se evitar a parada cardíaca?

A parada cardíaca pode ser reversível se tratada com rapidez por meio de choques elétricos aplicados no peito (desfibriladores) ou injeção de adrenalina. Após três minutos o cérebro já começa a sofrer danos pela falta de oxigenação, e a cada minuto excedente o tipo de lesão cerebral vai se tornando cada vez mais grave.

Quando o coração para de bater, normalmente, após 10 a 15 segundos, o paciente perde a consciência. Para diferenciar se a perda de consciência é consequência de um desmaio ou uma parada cardíaca, basta ver se a pessoa está respirando. Na situação de desmaio, a respiração permanece. Se a vítima parou de respirar, ela teve uma parada cardíaca. Inicie com urgência a massagem cardíaca e ligue para o serviço de emergência 192. Clique no link azul e leia o artigo sobre como fazer a massagem cardíaca.

Palavras em azul são links que te direcionam aos artigos correspondentes. Clique nelas para saber mais.
Veja também artigo relacionado: Arritmia cardíaca pode surgir na infância

As outras situações que constam na imagem deste artigo:
Flutter atrial é uma arritmia que causa o ritmo rápido e regular do coração. Já a fibrilação atrial, provoca batimentos rápidos, desorganizados e irregulares.

Quanto as condições ventriculares, tanto a taquicardia ventricular como a fibrilação ventricular são consideradas graves. Na taquicardia ventricular, o impulso elétrico vindo dos ventrículos é rápido e ameaçador da vida. Contrário da bradicardia que o ritmo é lento, a taquicardia representa a aceleração dos batimentos cardíacos, que falaremos no próximo artigo.