Como identificar alimentos frescos na hora da compra

Como identificar alimentos frescos na hora da compra

Entre as tarefas de quem cozinha, também estão inclusas as compras. Escolher bem os alimentos é uma atividade muito importante, que implica na qualidade do que vai ser preparado, além de ser um exercício de economia doméstica. Segundo a nutricionista da Ajinomoto do Brasil, Priscila Andrade, a primeira coisa a ser feita antes de ir a feira ou ao supermercado é a elaboração de um cardápio semanal, mensal ou quinzenal dependendo da frequência com que você vai as compras. "Dessa forma, pode-se estabelecer os ingredientes e as quantidades com precisão e, assim, gastar menos, além de priorizar uma alimentação balanceada", orienta.

Priscila dividiu a lista de compras por tipo de produtos. Confira:

PEIXE

• A aparência de um peixe fresco tem que ser parecida com a de um peixe vivo: os olhos do devem estar brilhantes, as pupilas escuras e a íris branca ou amarelada. As brânquias devem estar vermelhas ou rosadas e úmidas.

• Evite escolher o peixe que está por cima dos outros. Ele não está em contato com o gelo, mas sim com o outro peixe. Caso ele venha em uma bandeja, observe se há água por baixo: a água é um sinal de que o peixe foi mal acondicionado.

• O peixe deve exalar um cheiro de mar (inclusive os de água doce). Ele não pode ter, em hipótese alguma, cheiro de "fim de feira", principalmente se esse odor vier da barriga. Isso porque um peixe, depois de certo tempo, sofre deterioração no ventre, com restos de comida.

• O corpo do peixe deve estar firme e resistente. O ventre, por sua vez, precisa estar sem sinal de inchaço ou de que murchou. A rigidez do corpo indica que ele morreu há pouco tempo. Tente dobrar o corpo do peixe. Se, depois de algumas tentativas, isso não acontecer, significa que ele foi congelado anteriormente e não está fresco.

FRANGO

• A carne fresca do frango deve ter consistência firme e elástica, bem aderente aos ossos, coloração amarela pálida e ligeiramente rosada.

• Nunca compre se a carne estiver mole ou pegajosa.

• Não compre carne congelada de aves que apresentem a embalagem danificada, cheia de água, gelo ou sangue.

CARNE BOVINA

• Em bandejas: a carne deve ser vermelha, brilhante, com consistência firme e elástica, sem manchas escuras ou esverdeadas. A gordura deve ter uma cor amarelo-clara, próxima a tonalidade da manteiga. A bandeja não deve apresentar excesso de sangue. Se estiver pingando da embalagem, não compre.

• A vácuo: a carne tem a cor amarronzada e isso é perfeitamente normal. A alteração da cor é causada pela ausência de oxigênio; quando a embalagem é aberta, a cor da carne se restabelece em poucos minutos.

O armazenamento adequado

Depois de escolher corretamente os alimentos na feira ou no mercado, é importante prestar atenção a forma de manipulá-los e armazená-los. Segundo Priscila, estas são atitudes importantes para manter a comida longe das bactérias e os nutrientes conservados por um intervalo de tempo maior. Veja as dicas como guardar cada tipo de alimento de maneira prática:

FRUTAS

• Devem ser lavadas apenas antes do consumo e não antes de serem armazenadas na geladeira.

• O ideal é que sejam armazenadas em sacos plásticos dentro das gavetas na parte inferior da geladeira.

• As frutas que continuam amadurecendo, como o abacate, devem ser mantidas em temperatura ambiente até que fiquem completamente maduras. Depois, podem ser levadas a geladeira.

Dica: frutas como abacate, melancia, banana e abacaxi só devem ir para geladeira depois de abertas ou se estiver muito calor.

VEGETAIS

• Armazene tudo em sacos e coloque nas gavetas apropriadas da geladeira. Lave-os apenas na hora em que for consumir e não antes de colocá-los na geladeira, isso porque o contato com a água faz com que o alimento fique úmido e acabe estragando mais rapidamente.

Dica: Alguns vegetais verdes como aspargos e ervas frescas (salsinha, cebolinha) têm sua durabilidade aumentada se armazenados em recipientes com os caules imersos em água.