Câncer de tireoide, cada vez mais frequente

Câncer de tireoide, cada vez mais frequente

Você já parou para pensar na importância da tireoide? Ela é uma das maiores glândulas do corpo humano e é responsável pela produção dos hormônios que regulam o metabolismo. Quando o seu funcionamento é prejudicado por diferentes razões, o organismo emite algum sinal, como sensação de cansaço excessivo ou sonolência. Se não tratado a tempo, o quadro pode se agravar, prejudicando outros órgãos. Por outro lado, nem sempre o corpo sinaliza claramente quando a glândula está doente, como no caso do aparecimento de tumores na região. A maioria dos casos de câncer de tireoide não apresenta sintomas.

Entre os quatro tipos existentes de câncer de tireoide o mais comum é o carcinoma papilífero, acometendo 85% dos pacientes, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Ele se desenvolve nas células foliculares (responsáveis pela produção do hormônio tireoidiano) e têm crescimento lento. O tumor pode aparecer em pacientes de qualquer idade, porém predomina entre os 30 e 50 anos. “Devido os sintomas serem comuns em outros tipos de doença, o tumor pode passar despercebido pela pessoa e, algumas vezes, até pelo médico. A apresentação mais comum é o aparecimento isolado de um nódulo no pescoço." explica a Dra. Ana Hoff, chefe da unidade de endocrinologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) e endocrinologista do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês.

Mas nem sempre nódulos na tireoide caracteriza o câncer.Eles são muito comuns (cerca de 30% a 50% da população adulta os têm) diz o endocrinologista Prof. Dr. Alfredo Halpern, autor do capítulo de endocrinologia do livro Medicina, Mitos e Verdades (Carla Leonel). “A maioria absoluta é benigna, mas uma certa proporção (5 a 10%) pode ser maligna. Existem algumas características do ultrassom que podem sugerir benignidade ou malignidade, mas muitos casos exigem uma punção do nódulo para orientação de tratamento (cirúrgico ou não)”, ressalta Halpern. Portanto, na presença de um nódulo no pescoço é importante buscar avaliação médica.

Sintomas como dor, rouquidão ou mudança no timbre de voz (sem voltar ao normal com o tempo), dificuldade para engolir, para respirar e tosse excessiva sem estar relacionada à gripe estão associados a uma doença mais avançada e estão presentes em menos de 5% dos pacientes”,completa Dra. Ana Hoff.

Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), esse tipo de câncer acomete as mulheres com uma frequência de quatro a cinco vezes maior do que os homens, o que é provavelmente relacionado ao efeito do estrogênio na tireoide. “Nas mulheres, a tireoide sofre muitas influências hormonais, como por exemplo, durante a gravidez. Apesar de ainda não estar bem estabelecido, estudos demonstraram que o estrogênio pode regular o crescimento e proliferação das células do câncer de tireoide”, explica a médica. Ainda segundo o INCA, esperam-se 8 mil novos casos da doença nas brasileiras, ainda este ano, o que significa ser o 5º tumor maligno mais comum em mulheres no país.

Além da questão hormonal nas mulheres, outros fatores podem contribuir para o desenvolvimento do tumor na tireoide, em ambos os sexos. Entre eles, a exposição à radiação acima do nível seguro, como por exemplo, profissionais que trabalham com raios X e não se protegeram adequadamente e pacientes tratados com radioterapia. Há ainda a herança genética, porém para a maioria dos casos não há explicação.

O tratamento do câncer de tireoide é a retirada total da mesma. Felizmente, temos hoje remédios que repõem perfeitamente os hormônios que são fabricados pela glândula. O importante é o diagnóstico precoce para evitar metástase.

Clique nos links abaixo e leia artigos relacionados:
HIPERtireoidismo
HIPOtireoisimos
Nódulos na tireoide