Dor muscular após atividade física

Dor muscular após atividade física

A Dor Muscular Tardia (DMT) é um fenômeno que tem sido experimentado por toda pessoa envolvida com atividades atléticas. Ela representa uma das lesões esportivas mais comuns. O início da dor é tipicamente notado 24 horas após os exercícios principalmente naquelas atividades físicas em que o atleta não está familiarizado. A dor frequentemente aparece após um trabalho de grande força muscular tipicamente excêntrica. O trabalho muscular excêntrico é caracterizado pelo alongamento muscular enquanto o músculo é contraído.

As atividades excêntricas mais comuns incluem: step, ciclismo, corrida, downhil, e exercícios de resistência muscular.

SINTOMAS DA DMT – Dor Muscular Tardia

A Dor Muscular Tardia (DMT) é caracterizada por dor progressiva que inicia aproximadamente depois de 24 horas da atividade física, com pico doloroso alcançando seu máximo de intensidade entre 24 a 72 horas. Os sintomas incluem dor á palpação, diminuição do movimento articular, déficit na flexibilidade e déficit na produção de força muscular. A dor é tipicamente notada na região onde se encontra a junção entre o músculo e o tendão.

Os sintomas podem continuar por 5 a 10 dias. O déficit na produção da força muscular frequentemente tem um pico imediatamente após o exercício e 48 horas após, mas tem sido notado também acima de 8 dias.

A quantidade e a intensidade dos sintomas estão relacionadas ao nível de treinamento, à intensidade e quantidade do exercício, e ao comprimento do músculo durante o exercício.

TRATAMENTO

As teorias propostas para os mecanismos relacionados com o início da Dor Muscular Tardia estimularam pesquisas no campo do tratamento e prevenção. O tratamento atualmente usado usado inclui: medicações anti-inflamatórias, crioterapia, massagens, exercícios, alongamento, estimulação elétrica, compressão e ultrasson.

PREVENÇÃO

Para prevenir a Dor Muscular Tardia (DMT) são fundamentais:

  • Adesão a programas de treinamento bem planejados visando o combate e o retardamento da fadiga muscular;
  • Respeito à capacidade individual;
  • Reposição hídrica e energética convenientes às necessidades individuais;
  • Respeitar os períodos de descanso. O sono deve ser muito valorizado e colocado na rotina de horários do atleta;
  • Postura adequada na biomecânica dos movimentos;
  • Utilização de roupas e calçados adequados para prática esportiva

Prof. Dr. Moisés Cohen é Professor Titular e Chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo; Presidente da International Society of Arthroscopy Knee and Sports Medicine (ISAKOS) e autor do capítulo de ortopedia do livro MEDICINA MITOS E VERDADES (Carla Leonel)