Câimbras

Câimbras

As câimbras são contrações involuntárias e desordenadas de um músculo ou de um grupo de músculos e afetam principalmente os músculos posteriores da perna, abaixo dos joelhos, a chamada panturrilha. Ocorrem em espasmo, ou seja, contrai-se, são extremamente dolorosas e podem se manifestar durante a atividade física, no repouso e até durante o sono. A etiologia, entretanto, é controversa. Inicia-se mais frequentemente após uma contração muscular intensa com consequente encurtamento do músculo acometido, como no caso dos atletas que sobrecarregam determinados músculos. Porém, estão associadas, também, a uma série de condições NÃO relacionadas com o esporte ou exercício.

O ortopedista Prof. Dr. Moisés Cohen, autor do capítulo de ortopedia do livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel) cita abaixo as principais causas:

O suor e a diurese excessiva podem causar uma hiponatremia (queda do sódio sérico). Além disso, o organismo também utiliza sódio do músculo quando acaba a fonte de glicogênio, podendo ocorrer uma hiper-irritabilidade em algumas terminações nervosas que ficam hiper-excitadas. Esta situação provoca um estresse mecânico ao seu redor, que resulta em contrações espontâneas dos músculos, ou seja, nas câimbras.

• É importante salientar que as deficiências de outros minerais como cálcio, magnésio e potássio também podem causar câimbras musculares e problemas neuromotores.

Desidratação: a água tem um papel importante no relaxamento das fibras musculares. Sem ela, os músculos ficam mais susceptíveis aos espasmos.

Condicionamento físico insuficiente.

• Na insuficiência renal aguda ou em pacientes que realizam hemodiálise, podem ocorrer estes sintomas. Estas condições podem ser explicadas pela baixa concentração sérica de sódio.

• Outros fatores que favorecem a ocorrência de câimbras são doenças como diabetes, doenças neurológicas ou problemas vasculares.

• A má circulação faz com que a musculatura seja mais exigida principalmente pelo estreitamento das artérias que irrigam os membros inferiores.

• Há algumas evidências que indicam que o uso de certos suplementos dietéticos como creatina pode aumentar os riscos de câimbras musculares.

Baixos níveis de cálcio e magnésio sérico também podem estar envolvidos no início dos sintomas. Entretanto nenhum destes desequilíbrios iônicos necessariamente tem que estar presente na gênese do problema.

• Na gravidez, pelo acúmulo de ácido láctico no músculo devido às alterações hormonais e metabólicas.

A administração de soluções salinas podem levar ao alívio dos sintomas. As câimbras podem ser momentaneamente interrompidas por uma contração ativa da musculatura antagonista à afetada, ou por um alongamento passivo forçado desta musculatura. Após a resolução do quadro álgico, o músculo mostra alterações na excitabilidade e na contratilidade, mostrando-se fasciculado por alguns minutos. O músculo pode permanecer dolorido por alguns dias, dependendo da intensidade da câimbra.

O tratamento pode ser empiricamente iniciado com a administração de eletrólitos e a regulação do balanço hídrico. Entretanto este tratamento não é comprovadamente eficaz. Cada vez mais têm-se utilizado medicamentos para o tratamento das câimbras principalmente na população de não atletas. Sulfato de quinina e fosfato de cloroquina têm sido benéficos principalmente nos casos de câimbras noturnas. Quanto a causa exata das câimbras durante os exercícios, permanece controversa. Alguns estudos têm conduzido para hipótese de desidratação, distúrbios eletrolíticos e fadiga muscular.

COMO PREVENIR AS CÂIMBRAS

• Alongar e aquecer a musculatura antes de iniciar a atividade física;
• Adequada hidratação antes, durante e após a atividade física;
• Repor níveis de sódio durante os intervalos de exercícios intensos e com transpiração abundante com bebidas esportivas ou com alimentos que contenham sódio;
• Ingestão adequada de carboidratos para evitar a utilização de proteína muscular como forma de energia;
• Assegurar uma recuperação nutricional adequada.

O QUE FAZER NA OCORRÊNCIA DE CÂIMBRA

• Na batata da perna, força-se o pé para cima (o dedão em direção à perna) para esticar as fibras musculares.
• Tente alongar o músculo e massageá-lo com movimentos circulares.
• Aplicação de calor local também ajuda a relaxar a musculatura e aliviar a dor.

Vale lembrar que a câimbra, apesar de menos frequente, também pode ocorrer em outros grupos musculares quando exigidos durante muito tempo, em uma mesma posição. Podemos citar como exemplo, a mão, braços ou pescoço, por escrever ou digitar no computador.