Alérgicos ao glúten: o que pode comer e o que faz mal

Alérgicos ao glúten: o que pode comer e o que faz mal

O que comer ou não comer? Ser alérgico ao glúten tem sim suas restrições, mas isso não significa que a pessoa vai ter uma vida sofrível. Hoje já existe uma série de produtos disponível no mercado que permite que os celíacos se alimentem com mais variedade e liberdade, da mesma forma que o diabético ou o intolerante a lactose.

No artigo anterior explicamos as causas, os sintomas e como diagnosticar e tratar a doença celíaca. Agora vamos dar todas as dicas necessárias para tornar sua vida mais fácil. Qualquer dúvida busque orientações na FENACELBRA (Associação dos celíacos no Brasil) que se dedica a melhorara qualidade de vida das pessoas afetadas pela doença celíaca e desordens relacionadas ao glúten.

A boa notícia é que não apenas os celíacos, mas qualquer pessoa que quiser aderir a dieta sem glúten vai experimentar uma série de benefícios, já que o glúten pode causar inchaço e desconforto abdominal até pra quem não é celíaco!

Vamos conferir?

Os alimentos permitidos são isentos de glúten e os proibidos contém glúten. Também tem aqueles PERMITIDOS COM MODERAÇÃO pois apesar de ser isentos de glúten, contém muito açúcar, sódio, álcool, gorduras e/ou aditivos químicos.

Alérgicos ao glúten: o que pode comer e o que é proibido

GRÃOS E FARINHAS

1. Permitido: arroz (e farinha de arroz e creme de arroz), milho (e maisena), quinua, amaranto, feijão, ervilha grão de bico, lentilha, trigo sarraceno.

2. Proibido: trigo, centeio, cevada, aveia e malte, farinha, farelo e gérmen de trigo, farelo de aveia, farinha de rosca, trigo de kibe.

3. Permitido com moderação: arroz doce, canjica, massas a base de farinha de arroz ou de milho.

TUBÉRCULOS E SUAS FARINHAS

1. Permitido: batata, batata doce, aipim (mandioca), inhame, cará, polvilho (doce e azedo), goma de tapioca, fécula de batata, sagu, araruta.

2. Proibido: farofa industrializada.

3. Permitido com moderação: batata e aipim fritos (em casa), batata tipo Ruffles, farofa.

PÃES, BISCOITOS E MASSAS

1. Permitido: pães sem glúten, biscoito de polvilho, biscoitos de soja, de arroz, de milho, massas isentas de glúten, tapioca.

2. Proibido: Pão francês, pão integral, pão de forma, pão doce, tortas, empadão, salgadinhos, croissant, pizza, macarrão e massas a base de trigo, sêmola ou semolina, kibe.

3. Permitido com moderação: pão de queijo, lasanha, pizza e massas em geral isentas de glúten, porém contendo queijo e molhos gordurosos.

BEBIDAS

1. Permitido: água, água de coco, suco de fruta, café (na rua, preferir café expresso).

2. Proibido: cerveja, uísque.

3. Permitido com moderação: vinho, saquê, cachaça, vodka, cerveja sem glúten, prosecco, champagne, refrescos industrializados, refrigerante, guaraná natural/xarope de guaraná, xarope de groselha.

LEITE E DERIVADOS

1. Permitido: iogurtes, leite baixa lactose, queijos, leites vegetais (coco, castanhas, gergelim, arroz, soja).

2. Proibido: achocolatados contendo malte, Ovomaltine, mingau de aveia, iogurtes contendo aveia.

3. Permitido com moderação: leite de soja com frutas, leite com achocolatados, leite condensado, creme de leite.

CONDIMENTOS

1. Permitido: alho, cebola, tomate, pimentão, pimenta em grão, alecrim, salsa, cebolinha, tomilho, orégano, manjericão, sálvia.

2. Proibido: molho shoyo contendo trigo (a maioria das marcas).

3. Permitido com moderação: temperos prontos isentos de glúten, molho shoyo (Sakura), catchup, mostarda, maionese, molhos de salada.

PROTEÍNAS

1. Permitido: carnes (boi, peixe, frango, porco, rã, cabrito, cordeiro, etc), ovo.

2. Proibido: bife de glúten, proteína vegetal, nuggets, bife à milanesa, empanados.

3. Permitido com moderação: presunto, blanquet de peru, salame, salaminho, mortadela, salsicha.

DOCES

1. Permitido: chocolate amargo, geleia de frutas sem adição de açúcar, alfarroba.

2. Proibido: bolos, tortas, docinhos de festa, chocolate contendo malte, pavê, torta alemã.

3. Permitido com moderação: gelatina, geleia de mocotó, balas, chocolate ao leite, chocolate branco, sorvetes.

FRUTAS

Permitido: todas - abacaxi, abacate, amora, açaí, coco, água de coco, banana, caqui, carambola, cereja, framboesa, laranja, limão, tangerina, morango, uva, pera, maçã, manga, melão, mamão, melancia etc...

Permitido com moderação: compota de frutas, geleia diet, sorvete de frutas.

HORTALIÇAS (legumes e verduras)

1. Permitido: todas - cenoura, chuchu, beterraba, abóbora, vagem, couve-flor, couve, espinafre, bertalha, agrião, aipo (salsão), alho poró, etc

2. Proibido: tempura, legumes empanados, tortas e empadões de hortaliças.

SEMENTES E OLEAGINOSAS

1. Permitido: todas - castanhas, amendoim, nozes, amêndoas, avelã, macadâmia, pistache, amêndoas de cacau, gergelim, linhaça, chia, semente de girassol, semente de abóbora.

2. Proibido: amendoim japonês.

3. Permitido com moderação: confeitos de amêndoas etc...

GORDURAS

1. Permitido: azeite de oliva.

2. Proibido: óleo reutilizado de frituras anteriores.

3. Permitido com moderação: óleo de abacate, de coco, manteiga, margarina, creme vegetal, óleos de grãos (soja, milho, girassol, arroz), óleo de canola, banha de porco

Atenção a alimentos naturalmente isentos de glúten, mas que podem estar contaminados:

1. Alimentos vendidos a granel: grãos, sementes/oleaginosas, ervas/condimentos, chás, etc;

2. Queijos e frios fatiados em padarias;

3. Biscoitos de polvilho e pão de queijo preparados em padaria ou ambientes onde se trabalha com farinha de trigo;

4. Alimentos no balcão dos restaurantes self service (podem ser contaminados pela troca de talheres, na hora de servir);

5. Produtos isentos de glúten manipulados na mesma área física e/ou maquinário utilizado para os que contem glúten - farinhas, polvilho, chocolates, grãos, etc;

6. Café previamente moído, em padarias, bares e lanchonetes (pode estar contaminado com cevada);

7. Batata frita em restaurante e festas (óleo reutilizado de outras frituras - pastel, salgadinho, empanados);

8. Molhos, sopas e feijão em restaurantes (podem ter adição de farinha de trigo, como espessante);

Cardápio elaborado pela nutricionista Dra. Juliana Crucinsky (CRN: 2001100190)

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A DOENÇA CELÍACA

Um celíaco pode ter uma vida igual à das outras pessoas?

Sim, mas desde que cumpra a dieta. Um celíaco que cumpra a dieta é uma pessoa com as mesmas capacidades físicas e intelectuais que um não celíaco. Só se torna doente se não cumprir a dieta.

A doença celíaca afeta a vida sexual?

Também aqui não há qualquer motivo para receios: desde que a dieta seja cumprida o celíaco pode ter uma vida sexual idêntica à de qualquer outra pessoa. Quando a restrição de glúten não é respeitada estão descritos quadros de baixa fertilidade, impotência, irregularidade nos períodos menstruais, etc.

O malte e o extrato de malte aparecem muitas vezes mencionados na composição de alguns produtos. O celíaco pode consumir algum destes produtos ?

Não. O malte e o extrato de malte são derivados da cevada. Por uma questão de segurança, o celíaco deve excluir de sua alimentação todos os produtos alimentares que contenham o malte ou extrato de malte.

O celíaco pode comer pão de queijo?

O celiaco pode comer pão de queijo desde que saiba a origem do mesmo. Não coma pão de queijo fabricado nas padarias comuns, pois mesmo não tendo glúten entre seus ingredientes, pode haver contaminação tanto na hora de preparar a massa quanto na hora de assar ou servir, já que todos ou outros alimentos preparados ali tem a farinha de trigo como base.

O celíaco pode tomar qualquer café?

Não. O pó de café pode estar misturado com Cevada, para aumentar a quantidade na embalagem. Evite tomar café onde você não saiba a marca do produto. Procure os cafés que possuem o selo de pureza da ABIC.

O meu filho celíaco pode brincar com massinha de modelar?

Atenção com o que a criança brinca na escola: massinhas de modelar, receitas caseiras de tintas, aulas de culinária podem expô-la ao glúten. Converse com a direção e a equipe pedagógica sobre a doença celíaca e peça ajuda para que a criança possa permanecer segura no ambiente escolar.

As pessoas celíacas podem praticar esportes?

Sim. O único cuidado é checar previamente a densidade óssea (nos adultos), pois se houver osteopenia (ou osteoporose), o risco de uma fratura (em um impacto) é maior.

A doença celíaca passa de pessoa para pessoa?

Não passa através do sangue, sexo, secreções ou qualquer contato com as pessoas, mas pode ser transmitida geneticamente.

Como agir com relação à escola de meu filho que é celíaco?

A direção da escola deve ser informada sobre a condição de seu filho. Devido ao fato da doença celíaca ser pouco conhecida, vale a pena apresentar algum artigo explicativo sobre a doença. Isso evitará questionamentos e mal entendidos.

Qual a relação entre doença celíaca e intolerância à lactose?

Normalmente a lactose é "quebrada" pela ação de uma enzima chamada lactase, a qual é produzida nas células intestinais. Como na doença celíaca existe um dano na célula intestinal, a produção de lactase fica prejudicada e, como conseqüência, há dificuldade na absorção da lactose. Essa deficiência melhora com a dieta e, posteriormente o leite poderá ser reintroduzido.

Tenho todos os sintomas da doença celíaca. Posso iniciar a dieta sem glúten por minha conta?

Não deve. Antes de iniciar a dieta deve-se confirmar o diagnóstico através dos exames adequados. Após a confirmação o paciente deverá ser bastante rigoroso e disciplinado por toda a vida. A adesão à uma dieta sem glúten de forma prematura poderá dificultar o diagnóstico futuramente.

No caso das refeições servidas nos aviões, como devo proceder?

A maioria das companhias aéreas possui cardápio de dieta sem glúten. Basta reservar com antecedência (no ato da reserva do voo).

O paciente celíaco é tipicamente emagrecido?

Não necessariamente. Devido ao distúrbio de absorção intestinal, a maioria dos indivíduos acometidos estão abaixo do peso, porém cerca de 30% estão com sobrepeso, provavelmente devido à elevada ingestão calórica.

O que acontecerá se eu desistir da dieta e comer livremente?

Em estudo feito com pacientes celíacos adultos que haviam sido diagnosticados na infância ou adolescência e que não seguiram a dieta sem glúten, descobriu-se que 80% tinha algum déficit nutricional (anemia, hipocalcemia, hipovitaminose) e cerca de 50% tinha algum grau de fragilidade óssea (osteopenia ou osteoporose).

Estou seguindo a dieta sem glúten há 2 anos e ainda não vi melhora clínica ou laboratorial. O que está acontecendo?

Primeiramente, deve-se analisar detalhadamente a dieta do paciente à procura de erro dietético ou de contaminação inadvertida com glúten. A segunda etapa é a revisão do diagnóstico incluindo a pesquisa do gene HLA-DQ2 ( 90-95% dos celíacos apresentam esse gene). No caso de pesquisa negativa, pode-se questionar o diagnóstico.

Porque a doença celíaca é tão pouco conhecida?

Embora a doença celíaca seja muito antiga, tinha-se pouco conhecimento científico a seu respeito até algumas décadas atrás. Primeiramente, descobriu-se que a doença era uma reação ao trigo, depois foi identificada sua característica imunológica e, finalmente sua predisposição genética. A classificação microscópica da doença (Marsh) foi instituída em 1992. A descoberta de seus anticorpos foi ainda mais recente. Além disso, a doença não tem um sintoma característico. Muitas vezes são sintomas discretos ou alterações laboratoriais inespecíficas. Se não houver forte suspeita do médico para pedir os exames adequados o diagnóstico torna-se difícil.

Compartilhe esta notícia com seus amigos! Ajude a salvar vidas! A doença celíaca pode levar à morte. É fundamental aderir ao tratamento. Celíacos que respeitam a dieta, além de não correr risco de vida, o intestino tende a se recuperar. Clique no link azul e leia o artigo completo.

Gastroenterologia: Médico responsável Prof. Dr. Luiz Chehter