TRATAMENTO DERMATOLÓGICO OU CIRURGIA PLÁSTICA?

Qual a porcentagem de sucesso dos tratamentos dermatológicos em relação às cirurgias plásticas?
Todos os casos devem ser bem julgados, pois, em cada um deles, o pós-operatório é diferente. Por exemplo, o skin resurfacing ou peeling a laser é muito interessante, mas tem um pós-operatório mais longo. O mesmo ocorre com os peelings químicos. Algumas vezes, em certos tipos de pele eles são mais indicados. O importante é que o paciente esteja bem-orientado sobre cada um deles.

No caso do envelhecimento facial não há uma opção determinante pelo tratamento dermatológico ou cirúrgico. Na realidade ambos se complementam. Uma pessoa que procura um cirurgião plástico queixando-se, por exemplo, de rugas faciais, flacidez e ceratoses senis (pequenas manchas escuras na pele) deve ser avaliada também por um dermatologista. Esses profissionais irão estabelecer o programa clínico-cirúrgico mais adequado no acompanhamento do paciente, no pré, per e pós-operatório.

Prof. Dr. Ivo Pitanguy é Prof. Titular dos Cursos de Pós-Graduação e Mestrado  da PUC-RJ e do Curso de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas; Membro Titular da Academia Nacional de Medicina e autor do capítulo de cirurgia plástica do livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel). Artigo do livro. Proibida reprodução total ou parcial sem citar a fonte com o link ativo.

Clique no link azul e leia mais artigos nas categorias:
Cirurgia Plástica
Dermatologia
Beleza e Bem-estar

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.