SÍNDROME SECA OU SÍNDROME SJÖGREN

- "Doutor, sinto meus olhos ardendo como se tivessem areia." 
-
"Quando acordo pela manhã, sinto que minha pálpebra está um pouco grudada."
- "Doutor, sinto minha boca seca, preciso tomar água frequentemente e molhar minha boca." 
- "Quando como uma bolacha, se eu não tomar água em seguida, sinto que pedacinhos da bolacha grudaram em minha boca".
Estas queixas são comuns no consultório dos reumatologistas e chamam a atenção para o diagnóstico de uma doença chamada Síndrome seca ou síndrome de Sjögren.

Segundo o reumatologista Prof. Dr. Cristiano Zerbini, nesta síndrome as glândulas salivares e as glândulas lacrimais são “agredidas” pelo sistema imunológico. Devido à inflamação gerada por esta “agressão” passam a funcionar mal e diminuir a produção de saliva e lágrimas, respectivamente. É portanto, uma doença autoimune e tem o nome de Síndrome de Sjögren, porque foi descrita inicialmente por um médico sueco chamado Henrik Sjögren, em 1933. Embora possa ocorrer em qualquer pessoa, inclusive crianças, nove entre dez pacientes são mulheres em torno dos 40 anos de idade. Esta doença pode surgir sozinha, sendo então denominada síndrome de Sjögren primária, ou pode acompanhar outras doenças, como a artrite reumatoide e, então, é denominda secundária.

Na maioria das pessoas com esta síndrome, as queixas referem-se à secura da boca e dos olhos, porém vários outros órgãos podem estar afetados como os rins, os pulmões, o pâncreas, e o sistema gastrointestinal. Queixas de secura na pele e secura vaginal também são frequentes. Os pacientes podem ter dor nas juntas e relatar grande cansaço. Algumas vezes, a paciente refere que o dentista a alertou sobre um aumento no número de cáries dentárias. Isso ocorre porque a nossa saliva é uma grande fonte de defesa para a boca e sua diminuição favorece o aparecimento de cáries.

A síndrome de Sjögren é diagnosticada, principalmente, pelo histórico do paciente. No exame físico, o médico pode encontrar um aumento das glândulas salivares parótidas (que ficam perto do ouvido), mas isso não ocorre frequentemente. Alguns testes de laboratório podem ajudar, como a pesquisa do fator antinúcleo, pesquisa dos anticorpos SSA e SSB, pesquisa do fator reumatoide, medida da VHS (velocidade de hemossedimentação) e dosagem das imunoglobulinas. Todos estes testes são feitos no sangue e sua positividade ajuda no diagnóstico.

Existem também testes mais específicos. O oftalmologista (médico dos olhos) pode realizar um exame na vista chamado de teste de Schirmer, para ver se a produção de lágrima está diminuída. Outros testes para medir a quantidade de saliva incluem: cintilografia salivar, medida do fluxo salivar e em alguns casos biópsia de glândulas salivares (a biópsia é feita no lábio inferior que é rico em pequenas glândulas salivares).

O tratamento da síndrome de Sjögren é local, na maioria dos casos, com colírios para umedecer os olhos e estimuladores da produção de saliva (suco de frutas ácidas, por exemplo). Existem também produtos que simulam a saliva à base de celulose. Para que um tratamento seja adequado individualmente, a consulta com o reumatologista é fundamental.

Clique no link e leia mais artigos na categoria de REUMATOLOGIA

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.