ENFISEMA PULMONAR

Enfisema se caracteriza pela destruição irreversível do pulmão. Há ruptura das paredes dos alvéolos, onde ocorrem as trocas gasosas entre o ar respirado e o sangue. A ruptura dessas paredes determina a formação de espaços cada vez maiores, onde se acumula o ar. A principal causa determinante desse fenômeno é o fumo, porém existem outras causas menos frequentes, incluindo-se as genéticas.

O pneumologista Prof. Dr. Francisco Vargas alerta que o sintoma básico do enfisema é a falta de ar, que se intensifica durante a realização de exercícios físicos quando, então, são maiores as necessidades de um aporte adequado de oxigênio. Não há tratamento específico para o enfisema. Atualmente, algumas técnicas cirúrgicas abordando as regiões mais comprometidas têm mostrado resultados promissores. Modernamente, métodos endoscópicos agem favoravelmente na redução da hiperinsuflação (acúmulo exagerado de ar) e, portanto, reduzem a sintomatologia.

Basicamente, o tratamento procura reduzir a sintomatologia e evitar as complicações, como infecções frequentes e o comprometimento do coração, o qual é mais exigido para conseguir bombear adequadamente o sangue através dos pulmões. Quando essa tarefa não é realizada, o lado direito do coração (que é responsável pelo bombeamento do sangue para o pulmão), torna-se insuficiente, caracterizando a presença de insuficiência cardíaca direita.

Clique no link para ler matérias relacionadas:
•  Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) 
•  Insuficiência cardíaca: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.