Ao lavar os cabelos ou penteá-los, é comum que alguns fios se desprendam do couro cabeludo e caiam. Por dia, o ser humano perde cerca de 100 a 150 deles. Porém, quando a queda passa a ser intensa, pode ser sinal de que algo no organismo não está bem. Esse "descontrole" é conhecido por eflúvio telógeno. Trata-se de queda aguda e intensa, chegando a cair mais de 600 fios. Normalmente, os fios caem entre três e quatro meses após a instalação do agente desencadeante, sendo as mulheres as mais atingidas pelo eflúvio telógeno. Talvez, por ter como uma das principais causas as alterações hormonais.

É comum a queda de cabelo no  período pós-parto, pré e pós-menopausa, climatério e  também após a interrupção do uso de pílulas anti-concepcionais ou de reposição hormonal. Um dos principais hormônios envolvidos na queda de cabelos é a diminuição do estrogênio. O estrogênio tem influências positivas no folículo dos cabelos impedindo que eles caiam. Isso explica o porquê à mulher fica com cabelos mais volumosos e brilhantes na gestação já que, nesta fase, o nível de estrogênio no corpo da mulher cresce.

Outras causas da queda de cabelo (eflúvio telógeno):
Doenças da tireoide;
• Doenças acompanhadas de febre alta;
• Deficiências nutricionais (ferro, zinco e proteínas)
Dietas restritas (com ou sem medicamentos);
Estresse físico ou emocional;
Anemia; (clique no link azul e leia mais sobre anemia)
Infecções;
• Uso de determinados medicamentos: esteróides, quimioterapias específicas, anticoagulantes, alguns medicamento para controlar a pressão sanguínea, diabete, tireoide, doenças do coração, e até mesmo medicamentos para acne.
• Pós-operatório;
• Dermatite de contato no couro cabeludo;
• Radiação ultravioleta no couro cabeludo;
• Penteados que tracionam o cabelo.

O eflúvio telógeno é reversível espontaneamente e melhora geralmente entre 1 a 3 meses, porém causa grande preocupação pela intensidade e rapidez da instalação da queda. Caso o tempo de duração seja mais prolongado, podem ser realizados novos exames para tentar identificar uma causa para o problema. "Em poucos casos essa queda exacerbada pode se manter, levando a um quadro que chamamos de eflúvio telógeno crônico ”, afirma a dermatologista Dra. Livia de Andrade Bessa.

É importante lembrar que apesar da queda ocorrer rapidamente, o crescimento de um novo fio é demorado, crescendo cerca de 1cm a 2cm por mês. Por isso, o resultado a ser esperado no tratamento é um retorno da queda a um número de até 100 fios por dia. A recuperação e crescimento dos cabelos vai ser percebida de forma gradativa. O tratamento consiste na correção das doenças ou das causas, quando forem detectadas deficiências alimentares ou alterações emocionais.  É possível fazer um suporte nutricional mais adequado e acelerar a recuperação.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia a suplementação alimentar tem influência no tratamento da queda de cabelo (eflúvio telógeno). Veja quais são elas e as explicações:

• A deficiência de ferro e zinco tem sido demonstrada como causadora ou agravante da queda de cabelo: o zinco está envolvido na síntese de proteínas e ácidos nucleicos, tendo papel importante em várias rotas metabólicas e funções celulares. Especificamente no folículo piloso, o zinco é potente inibidor da regressão do folículo piloso. Da mesma forma, o ferro exerce papel fundamental na nutrição do folículo. Mulheres com deficiência de ferro estão sob risco de desenvolver perda de cabelo com telogenização.

• Vitaminas como o ácido ascórbico, ácido fólico, vitamina E e biotina também exercem papel direto ou indireto no ciclo capilar, pois atuam em processos metabólicos de síntese proteica, expressão hormonal ou ainda sinérgicos a outros oligoelementos, como o zinco e a vitamina C.

• Dos nutrientes estudados em alopecia, a biotina tem demonstrado particular importância. É sabido que a deficiência de biotina está relacionada com a perda de cabelos e pelos corporais.

• A biotina é vitamina hidrossolúvel que age como cofator essencial para carboxilases responsáveis por catalisar etapas essenciais no metabolismo celular, além de interferir na diferenciação de células epidérmicas.

• A suplementação de biotina melhora a qualidade da queratina do cabelo mesmo sem deficiência aparente.

Na queda de cabelos, associada ao eflúvio telógeno, a associação de biotina e zinco foi estudada com resultados favoráveis.

Conheça um pouco mais sobre as Fases do Cabelo
O ser humano costuma ter em média 150 mil fios de cabelo e cada um deles passa por um ciclo de três fases:
•Anágena: Fase de crescimento do cabelo. O cabelo, cresce em média 1 cm por mês e vive de 3 a 7 anos no couro cabeludo (aproximadamente 85% dos nossos cabelos estão nessa fase).
•Catágena: O cabelo sofre alterações morfológicas, moleculares, afinam e param de crescer.
•Telógena: Fase final do repouso, quando ocorre a eliminação dos cabelos mortos. É a fase da queda e troca dos fios, recomeçando na fase anágena.

Clique no link azul e leia também:
Técnica moderna traz de volta os cabelos perdidos  
Alopecia areata: doença que provoca queda dos cabelos, barba ou pelos do corpo. 

LEIA MAIS ARTIGOS NA CATEGORIA DE DERMATOLOGIA E BELEZA

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo sem citar a fonte com o link.

SUAS DÚVIDAS NO CONSULTÓRIO MÉDICO
Livro Medicina, Mitos e Verdades (Carla Leonel): capa dura, 800 páginas, perguntas e respostas em 22 especialidades médicas com os mais bem conceituados nomes da Medicina no Brasil. Best-Seller: mais de 300 mil cópias vendidas.
• PROMOÇÃO: Compre um e leve dois. Por apenas R$ 99,00 você recebe 2 livros iguais. Pagamento facilitado em até 10 X R$ 9,90 sem juros no cartão de crédito. O frete é por nossa conta. Válido apenas no Brasil e em um único endereço escolhido por você. Não perca esta oportunidade.
Clique neste link COMPRAR e saiba mais. A informação ajuda no diagnóstico precoce e pode salvar vidas.