CAUSAS E SINTOMAS DA PNEUMONIA

A pneumonia é uma reação inflamatória do pulmão, em geral, causada por bactérias ou vírus, podendo ser também resultantes da contaminação por outros microrganismos, como os fungos e o micoplasma. Estes microrganismos ultrapassam as defesas naturais do corpo e invadem o pulmão, causando infecção e inflamação.

Deve-se ficar atento nos casos de pneumonia causadas por fungos pois, geralmente, tem sintomas mais leves sendo confundida com a gripe. Se não tratada adequadamente pode se agravar já que existem alguns tipos de fungos que podem propagar-se a outras partes do organismo.

Já a pneumonia atípica é um tipo de pneumonia onde o paciente não tem febre alta (abaixo de 38°). É causada por microrganismos como a clamídia,  micoplasma e a legionella. A Chlamydia psittaci é uma bactéria encontrada principalmente em pássaros, como pombos, papagaios e periquitos. As bactérias do gênero legionella vivem na água e a epidemia ocorre quando as bactérias se propagam pelos sistemas de condicionamento de ar em hotéis e hospitais. Os principais sintomas são ataques de tosse seca, falta de ar, calafrios e muita fraqueza. Às vezes pode surgir diarreia. Tanto o micoplasma e a clamídia são mais comuns na faixa etária entre 5 e 35 anos. Já a legionella afeta mais frequentemente pessoas de meia-idade e os idosos.

Existe também um tipo de pneumonia muito comum em alcoólatras, chamada de pneumonia aspirativa.  Ocorre quando algum material estranho é inalado ou aspirado para dentro dos pulmões. Normalmente alimentos presentes no estômago são aspirados para o pulmão após os vômitos. É frequente também em epiléticos durante a crise convulsiva.

Outras diversas condições propiciam o aparecimento de pneumonia:
• Reações alérgicas: inalação de substâncias agressivas ao pulmão, como a fumaça, agrotóxicos ou outros produtos químicos;
• Doenças e condições que reduzem a resposta imunológica normal e enfraquece as defesas do aparelho respiratório: gripe mal curada, mudança brusca de temperatura;
• Ar muito seco: seja pelo tempo ou por uso constante de ar condicionado também facilita a pneumonia por vírus ou bactérias.

Os principais sintomas da pneumonia são:
• Mal-estar geral, acompanhado de enfraquecimento,
• Falta de apetite,
• Febre alta (acima de 39°),
• Dor torácica,
Tosse produtiva com catarro mucopurulento (coloração amarelo-esverdeado), contendo, algumas vezes, estrias de sangue.

Como parte das medidas gerais, seja qual for a causa, é condição obrigatória o repouso e uma alimentação adequada, bem como a manutenção do paciente convenientemente hidratado, mediante ingestão abundante de líquidos. 

Com relação à medicação, devem ser administrados antitérmicos, analgésicos e anti-inflamatórios, de acordo com os sintomas e a critério médico. Nos casos das pneumonias por fungos, administra-se também os antifúngicos. Os antibióticos são utilizados apenas no caso das pneumonias bacterianas. A via de administração depende fundamentalmente da gravidade:
• Via oral: nos casos mais leves;
• Intramuscular: nos casos de moderada gravidade, ou quando o paciente é incapaz de ingerir a medicação;
• Endovenosa: a administração dos medicamentos é, em geral, reservada ao ambiente hospitalar, sendo indicada em casos de maior gravidade.

Contra a pneumonia viral não há tratamento específico. Recomendam-se as medidas gerais comentadas anteriormente, incluindo medicação sintomática para aliviar as queixas do paciente, como febre e dor, por exemplo.

CONSEQUÊNCIAS DA PNEUMONIA
A gravidade do quadro de pneumonia dependente de vários fatores. Deve-se considerar o agente causal, a extensão da lesão, a resistência dos microrganismos aos antibióticos e a condição de defesa do organismo, na qual se inclui o estado nutricional do paciente. Porém, em geral, as pneumonias em crianças e idosos tornam-se mais graves, por conta da maior fragilidade e menor resistência do organismo, fatores típicos de faixas etárias extremas. Essa gravidade decorre da reduzida condição de luta contra as infecções, o que determina uma evolução mais prolongada e um maior número de complicações, devendo-se considerar as bronquiectasias (dilatações brônquicas), o derrame pleural (acúmulo de líquido no espaço pleural), e a formação de abscessos no tecido pulmonar.

Conteúdo do livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel). Perguntas e Respostas em 22 especialidades médicas. Capítulo de pneumologia. Médico responsável Prof. Dr. Francisco Vargas, Titular da Disciplina de Pneumologia da USP.

Clique no link azul e leia matéria relacionada: Diferença entre gripe e resfriado: incubação do vírus, tempo de duração e medicamentos

Palavras em azul são links. Clique nelas para ler mais. Você também pode navegar pelo nosso site e encontrar mais ARTIGOS nas categorias de PNEUMOLOGIAPEDIATRIA

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.