Há mais de 2 mil anos, o pai da Medicina, Hipócrates, já avisava: “todas as doenças começam no intestino”. Ele faz parte do sistema digestório e é onde se encontra a maior parte da flora microbiana considerada a barreira de defesa do organismo. Os pesquisadores, inclusive, têm observado uma importante correlação entre o desenvolvimento de câncer, asma, alergias, obesidade, diabetes, autismo e depressão, relacionada ao desequilíbrio da flora intestinal. O nutrólogo e médico ortomolecular, Dr. Wilson Rondó Jr., esclarece sobre a importância de ter uma flora intestinal sadia e o quanto uma boa alimentação auxilia nisso.

O que é a flora intestinal?

Existe no nosso corpo mais de 100 trilhões de micro-organismos que representa 10 vezes mais a quantidade de células que temos no organismo. Grande parte desses micro-organismos são bactérias que compõem a nossa flora microbiana. Apesar do nome bactéria, diferente daquelas que causam doenças, estas são boas e fundamentais para o nosso sistema imunológico. A esta colonização de bactérias no intestino dá-se o nome de flora microbiana intestinal ou, simplesmente, flora intestinal.

Qual a função das bactérias do intestino?

Elas controlam desde a digestão e a absorção das gorduras, até a luta contra as infecções. Uma flora intestinal desequilibrada estimula os processos causadores de múltiplas doenças crônicas, uma vez que ela é constituída também por bactérias ruins, fungos, vírus e outros micróbios. São as bactérias boas que constroem barreiras contra esses micro-organismos, funcionando como um antibiótico natural do corpo. Portanto, elas precisam ser conservadas e não agredidas.

Vale dizer que as bactérias intestinais amigas também colaboram na produção de praticamente todas as vitaminas hidrossolúveis (vitaminas do complexo B1, 2, 3, 5, 6, 8 e 9). Igualmente ajudam na síntese da vitamina K, que atua no mecanismo de coagulação do sangue.

Qual a proporção entre as bactérias boas e as más? Quais os fatores que influenciam o surgimento de bactérias nocivas que desequilibram a flora intestinal?

Para alcançar uma flora intestinal saudável é necessário que 85% dessas bactérias sejam boas e apenas 15% nocivas. Mas, infelizmente, em muitas pessoas, essa ordem é quase que inversa.  O que provoca uma grande multiplicação de bactérias ruins são os maus hábitos alimentares e o consumo de alimentos que prejudicam a flora intestinal. Não mastigar corretamente os alimentos, por exemplo, diminui a absorção dos nutrientes, além de provocar fermentação pela disputa de espaço entre as bactérias boas e nocivas.

Outra causa é o uso abusivo de medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios, que deslocam as bactérias nocivas do tubo digestivo para a parede intestinal provocando o aumento desses micro-organismos no intestino. Mas dentre todas as medicações, os antibióticos são os mais maléficos para o desequilíbrio da flora intestinal. Da mesma forma que eles têm o poder de matar as bactérias que causam a doença, eles também eliminam as bactérias boas devido à proliferação de leveduras. Por isso é comum observar, por exemplo, mulheres com candidíase vaginal após o tratamento com antibióticos.

Está cada vez mais claro que a destruição da flora intestinal com antibióticos e uma alimentação inadequada são os principais fatores para o aumento de doenças. O uso de suplementação com lactobacilos é fundamental para proteger e recompor o equilíbrio da flora intestinal.

Quais os sintomas que indicam o desequilíbrio entre as bactérias?

Se você tem um excesso de bactérias ruins no seu trato digestivo, isso pode se manifestar de diversas maneiras:
• Gases e distensão abdominal;
• Fadiga;
• Náuseas, dor de cabeça;
• Constipação ou diarreia;
• Desejo por doces;
• Dificuldade de manter o peso apesar de se ter uma alimentação e exercícios saudáveis.

Existe uma diversidade de suplementos probióticos disponíveis para ajudar a restabelecer o seu trato intestinal com bactérias saudáveis.

O que são os probióticos?

São as boas bactérias presentes em alguns alimentos ou em forma de suplementos, que fortalecem a flora intestinal e melhoram a prisão de ventre. Podem ser encontrados nos iogurtes, leites fermentados ou em forma de cápsulas e pó. 

As espécies de bactérias probióticos mais populares são o Lactobacillus rhamnosus, Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium bifidum e Bifidobacterium longum.

Dos alimentos fermentados, os mais ricos em probióticos: Lassi (iogurte indiano), Kefir (leite fermentado) e Natto (soja fermentada). Como são micro-organismos, é importante manter armazenados sob refrigeração.

O suplemento probiótico é muito importante, pois cerca de 80% dos receptores imunológicos estão localizados no intestino. Sendo assim, ao fazer uso deste tipo de suplemento, sua imunidade ficará ainda mais eficiente garantido o bom funcionamento do seu sistema de defesa contra todas as doenças.

É no intestino também que é produzido e armazenado cerca de 90% da serotonina do corpo, hormônio relacionado ao bem-estar, determinando grande parte de nossas emoções. Alias, o uso da palavra “enfezada” que refere-se a pessoas de mau-humor, simboliza, não por acaso, o intestino cheio de fezes.

Quais os alimentos que prejudicam a flora intestinal?

Os alimentos refinados e industrializados, os transgênicos, os produtos dos animais criados em confinamento, o açúcar e o pão branco favorecem o desenvolvimento das bactérias nocivas que vivem sem oxigênio (anaeróbicas).

Adote uma alimentação saudável com pouco açúcar. Consumindo açúcar, você na verdade, alimenta as bactérias ruins como fungos e leveduras no seu trato intestinal.
É importante também o consumo de alimentos com fibras, pois além de melhorar o trânsito intestinal e a prisão de ventre, também são importantes na prevenção do câncer de cólon (intestino grosso).

Infelizmente, com a introdução dos alimentos industrializados e pouco naturais, alteramos este equilíbrio da flora abrindo as portas para todo o tipo de doença. A lista das perturbações e doenças associadas à contaminação do intestino é longa, e tornam-se cada vez mais numerosa e constante. Para piorar, todo o tratamento para combater doenças são à base de anti-inflamatórios e antibióticos, que causam um desequilíbrio ainda maior da flora intestinal.

Portanto, é muito importante ter consciência do valor da alimentação de forma a fornecer ao organismo os nutrientes necessários, como as vitaminas, fibras, enzimas etc, e dos probióticos que fortalecem o sistema imunitário, o equilíbrio da flora intestinal e seu humor.

Por que as fibras são tão importantes para manter a flora intestinal saudável? Como elas agem?

O cirurgião inglês, Dr. Denis P. Burkitt, que estudou profundamente o papel das fibras em relação às doenças do cólon, afirma que elas são a alimentação das bactérias boas do cólon, protegendo, contra diversas doenças, inclusive o câncer.

Além disso, as fibras também tem a função de acelerar o trânsito intestinal e diluir as substâncias tóxicas, abreviando o tempo de permanência desses micro-organismos na mucosa do cólon. Desta forma, eles são mais rapidamente eliminados através das fezes, dificultando a absorção pelo organismo.

Trate bem seu intestino. Ele pode ser considerado o anjo da guarda da sua saúde, te protegendo contra as doenças e melhorando seu bem-estar.

Clique no link azul e leia artigos relacionados:
Causas da prisão de ventre
Dicas para conseguir ir ao banheiro
Síndrome do Intestino Irritável
• Excesso de gases intestinais
• Câncer de cólon e reto

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo sem citar a fonte com o link.

SUAS DÚVIDAS NO CONSULTÓRIO MÉDICO
Livro Medicina, Mitos e Verdades (Carla Leonel): capa dura, 800 páginas, perguntas e respostas em 22 especialidades médicas com os mais bem conceituados nomes da Medicina no Brasil. Best-Seller: mais de 300 mil cópias vendidas.
• PROMOÇÃO: Compre um e leve dois. Por apenas R$ 99,00 você recebe 2 livros iguais. Pagamento facilitado em até 10 X R$ 9,90 sem juros no cartão de crédito. O frete é por nossa conta. Válido apenas no Brasil e em um único endereço escolhido por você. Não perca esta oportunidade.
Clique neste link COMPRAR e saiba mais. A informação ajuda no diagnóstico precoce e pode salvar vidas.