ALIMENTAÇÃO NO VERÃO

No verão o refúgio das pessoas à praia é grande e o Cardiologista e Nutrológo do HCor – Hospital do Coração, Dr. Daniel Magnoni, dá dicas de alimentação saudável e alerta: “O ideal é que se evite o consumo de alimentos em quiosques que não tenham infraestrutura adequada e os alimentos vendidos por ambulantes. Muitos possuem grandes potenciais de contaminação por meio dos molhos e cremes. Além disso, é necessário verificar se o produto está dentro do prazo de validade”, esclarece Dr. Magnoni.

DICAS ÚTEIS
Praias: primeiro verifique a temperatura dos alimentos. Alimentos gelados devem estar gelados e os que passaram por processo de cozimento devem estar inteiramente cozidos, sem pedaços crus. Verifique o cheiro e o gosto. Na dúvida, não coma. No caso de frituras como pastéis, churros e porções verifique como são armazenados os ingredientes desses alimentos e se os mesmos estão com boa aparência e odor adequados;

Clubes e restaurantes: em clubes há a possibilidade de se realizar uma refeição mais equilibrada no almoço, pois muitos servem refeições. E, para as porções e afins valem as mesmas recomendações da praia.

• Sanduíche natural: é uma boa opção, mas verifique se ele é mesmo um sanduíche natural. O sanduíche natural precisa ter ingredientes leves como queijo branco, peito de peru, atum, frango e vegetais, como alface, cenoura, tomate etc. A maionese até pode ser colocada, mas tome o cuidado de verificar se o sanduíche está adequadamente refrigerado, embalado e fresco (dentro do prazo de validade);

• As carnes magras são as mais indicadas para esta época, pois são fáceis de ser digeridas evitando desconfortos, além de serem mais saudáveis. Carnes brancas de aves, peixes e cortes de carnes vermelhas magras devem ser privilegiadas. As carnes das aves com a pele, carne de porco e carnes vermelhas com gordura aparente devem ser evitadas.

• Os cereais integrais também são boas opções para o verão já que combinam com saladas e pratos frios em geral. Opte pelos pães, cereais matinais e arroz integral no lugar de doces, massas e arroz refinado. As gorduras vegetais (azeite, óleo de canola, soja etc) combinam com as preparações de verão e são mais saudáveis que as gorduras de origem animal.

• Consuma à vontade folhas verdes e legumes (de preferência crus). Cuidado apenas com o tempero das saladas: evite a maionese caseira e os molhos prontos preferindo o azeite, limão, vinagre e os molhos a base de mostarda e iogurte.

• As sobremesas mais refrescantes são as melhores opções para o verão, como frutas ou doces à base de frutas: sorvetes de frutas no palito, compotas geladas de frutas, saladas de frutas, flans de frutas e gelatinas – elas são boas opções, pois hidratam e não tem calorias, além de serem fáceis de preparar.

• Sucos de frutas: são boas opções especialmente para as crianças em substituição ao refrigerante. Porém, de qualquer forma, deve ser intercalado com o consumo de água.

• Amendoim: o amendoim e demais castanhas são alimentos que podem ser consumidos com moderação. Prefira os assados aos fritos (leia na embalagem) e coma com moderação. Embora saudáveis, eles são calóricos e em excesso levam ao ganho de peso;

• Água de coco: pode ser tomada sem medo. Essa bebida é um excelente hidratante, rico em vitaminas e em sais minerais. Só verifique a higiene do carrinho;

• Sorvete: existem diversos tipos de sorvete. Para a praia o ideal são os picolés de frutas à base de água, que são mais leves, hidratantes e menos calóricos do que os picolés à base de leite ou com chocolate;

• Milho cozido: o milho cozido é uma fonte de carboidratos, como o arroz, pães e batatas. Não há uma contra indicação ao seu consumo, mas como qualquer alimento rico em fibra deve ser muito bem mastigado. Além disso, verifique a higiene e limpeza do vendedor e do carrinho;

• Raspadinha: a raspadinha é um gelo triturado com xarope de groselha, guaraná ou outro sabor. O xarope contém muito açúcar e corantes. Além disso, deve-se sempre checar a procedência do gelo. A água contaminada pode ser uma fonte de microorganismos que podem causar problemas intestinais;

• Pastéis: frituras devem ser evitadas. São de difícil digestão e contém elevado valor calórico devido à quantidade de gordura. Outro problema é a qualidade do óleo usado na fritura. Normalmente fritam-se todos os alimentos no mesmo óleo e nem sempre ele é trocado com a devida frequência.
Boas férias!

Palavras em azul são links que te direcionam ao assunto em questão. Clique para ler. Matérias relacionadas:
Diarreia por contaminação alimentar
Gastroenterite: intoxicação alimentar
Como identificar os alimentos frescos na hora da compra
Problemas digestivos causados por hábitos inadequados

Desmistifique o MITO: É perigoso nadar ou tomar banho após comer?

Procure sempre orientação médica. Jamais tome remédios por conta própria. A automedicação pode colocar sua vida em risco. Muitos deles tem poder tóxico e podem causar danos, às vezes, irreversíveis, à sua saúde. (Carla Leonel)


Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.