O Dia Mundial de Luta contra a AIDS é celebrado todo dia 1º de dezembro. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, o número de brasileiros infectados com HIV é de aproximadamente 530 mil pessoas, com uma média de 36 mil novos casos por ano.

Os agentes da transmissão do vírus HIV são o esperma, a secreção vaginal, o sangue e o líquor (líquido da espinha). A transmissão de mãe para filho se dá no útero, durante o parto ou na amamentação. Além dessas, não existe nenhuma outra forma importante de transmissão.

O beijo na boca pode transmitir o vírus da AIDS se existir alguma lesão, com  participação de sangue. O vírus está presente na lágrima, suor, saliva e urina em concentrações insuficientes para contaminação e, fora do corpo, fica inativo muito rapidamente.

Tomar água no mesmo copo usado por uma pessoa portadora do vírus não oferece problema algum, desde que não exista sangue ou qualquer ferimento, pois o vírus fora da célula morre muito rápido. 

O infectologista Prof. Dr. Vicente Amato neto lembra ainda que considerando que o esperma é contagioso, ele transmite o vírus até mesmo sem nenhum ferimento. O risco apenas aumenta quando existe alguma lesão ou ferimento.

Uma relação vaginal transmite seis vezes menos que uma relação anal, porque a mucosa da vagina tem elementos para se defender, além de apresentar menor trauma mecânico, quando comparada a relação anal.

A mucosa do reto não foi feita para a relação sexual, e por essa razão ela não se defende bem. Portanto, a relação sexual anal é seis vezes mais contagiosa que a vaginal. Mas pode acontecer de haver relação com pessoa infectada com o vírus, sem acontecer o contágio.

Em uma escala, o risco maior de contágio é pela transfusão de sangue. Quem recebe um frasco com 450 ml de sangue de um soropositivo, adquire a doença em praticamente 100% dos casos. Em segundo lugar vem a transmissão entre toxicômanos e, a relação sexual está em terceiro lugar como fator de transmissão da AIDS.

Pode parecer um contrassenso dizer que a relação sexual está em terceiro lugar como fator de transmissão da AIDS, se a maioria das pessoas infectadas o são por relação sexual. A explicação para esse fato é que a relação sexual é um ato cotidiano. Apesar de a porcentagem de risco ser menor, ela é muito mais frequente e por isso assume o primeiro lugar em número de pessoas infectadas.

Clique no link e leia matéria relacionada:
Sintomas e tratamento da AIDS
HPV é transmitido pelo sexo oral
Hepatite B é doença sexualmente transmissível
Causas, sintomas e consequências das doenças sexualmente transmissíveis
Métodos anticoncepcionais
Herpes genital e labial

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo sem citar a fonte com o link.

SUAS DÚVIDAS NO CONSULTÓRIO MÉDICO
Livro Medicina, Mitos e Verdades (Carla Leonel): capa dura, 800 páginas, perguntas e respostas em 22 especialidades médicas com os mais bem conceituados nomes da Medicina no Brasil. Best-Seller: mais de 300 mil cópias vendidas.
• PROMOÇÃO: Compre um e leve dois. Por apenas R$ 99,00 você recebe 2 livros iguais. Pagamento facilitado em até 10 X R$ 9,90 sem juros no cartão de crédito. O frete é por nossa conta. Válido apenas no Brasil e em um único endereço escolhido por você. Não perca esta oportunidade.
Clique neste link COMPRAR e saiba mais. A informação ajuda no diagnóstico precoce e pode salvar vidas.